Mato Grosso do Sul, Sábado 19 de janeiro de 2019

Com novo presidente, federação quer aumentar espaço para atletas do interior

Marcello Vargas Tiago assume presidência da Fedams (Federação de Desportos Aquáticos de MS)

Portal Campo Grande News - Gabriel Neris - 29/12/2018 21h59


Marcello Vargas Tiago, ex-nadador, assume presidência da Federação de Desportos Aquáticos de MS (Foto: Arquivo pessoal) Marcello Vargas Tiago, ex-nadador, assume presidência da Federação de Desportos Aquáticos de MS (Foto: Arquivo pessoal)

Uma nova era para a natação de Mato Grosso do Sul. Essa é a esperança do grupo que assume a Fedams (Federação de Desportos Aquáticos de Mato Grosso do Sul) a partir de janeiro de 2019. A equipe será liderada por Marcello Vargas Tiago, sucessor de Jefferson dos Santos Borges, que ficou por dez anos a frente da instituição. Marcello, de 45 anos, aposta ao lado da vice Ana Grace Cesar Gomes em uma gestão descentralizada para que possa atrair mais atletas e clubes do interior do Estado.

"Temos poucos clubes, sair um pouco da Capital, trazer associados. Precisamos ir ao interior fomentar o esporte, ir às academias, fazer o trabalho formiguinha", afirma o novo presidente.

Segundo ele, um exemplo a ser seguido do "trabalho formiguinha" é a liberação de piscinas em parques, como ocorreu recentemente em Campo Grande, através de projetos da Funesp (Fundação Municipal de Esportes).

Também cobra que a federação não olhe apenas para a natação, mas sim para as outras modalidades que envolvem a entidade, como nado sincronizado, salto ornamental, maratona aquática e polo aquático. "Precisamos chamar mais atletas, ir atrás. E colocar os novos em um nível de acesso", explica.

O novo dirigente também se mostra preocupado em relação à participação dos clubes. São apenas seis filiados: Rádio Clube, AABB de Campo Grande, Funec/Corumbá, Quatro Stilos de Maracaju, Apanj de Jardim e Corumbaense.

Com o objetivo de fazer o interior a nova casa da natação, a primeira competição promovida pela entidade já está marcada para Jardim, a 233 km de Campo Grande. A previsão é de que ocorra entre o fim de fevereiro e início de março. A entidade ainda aguarda a divulgação do calendário da CBDA (Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos) para confirmar as datas das disputas locais.

Marcello também assume com o compromisso de convocar nova eleição daqui dois anos com a intenção de respeitar o ciclo olímpico. "Somos a única federação fora do ciclo olímpico", justifica .

Uma nova era para a natação de Mato Grosso do Sul. Essa é a esperança do grupo que assume a Fedams (Federação de Desportos Aquáticos de Mato Grosso do Sul) a partir de janeiro de 2019. A equipe será liderada por Marcello Vargas Tiago, sucessor de Jefferson dos Santos Borges, que ficou por dez anos a frente da instituição. Marcello, de 45 anos, aposta ao lado da vice Ana Grace Cesar Gomes em uma gestão descentralizada para que possa atrair mais atletas e clubes do interior do Estado.

"Temos poucos clubes, sair um pouco da Capital, trazer associados. Precisamos ir ao interior fomentar o esporte, ir às academias, fazer o trabalho formiguinha", afirma o novo presidente.

Segundo ele, um exemplo a ser seguido do "trabalho formiguinha" é a liberação de piscinas em parques, como ocorreu recentemente em Campo Grande, através de projetos da Funesp (Fundação Municipal de Esportes).

Também cobra que a federação não olhe apenas para a natação, mas sim para as outras modalidades que envolvem a entidade, como nado sincronizado, salto ornamental, maratona aquática e polo aquático. "Precisamos chamar mais atletas, ir atrás. E colocar os novos em um nível de acesso", explica.

O novo dirigente também se mostra preocupado em relação à participação dos clubes. São apenas seis filiados: Rádio Clube, AABB de Campo Grande, Funec/Corumbá, Quatro Stilos de Maracaju, Apanj de Jardim e Corumbaense.

Com o objetivo de fazer o interior a nova casa da natação, a primeira competição promovida pela entidade já está marcada para Jardim, a 233 km de Campo Grande. A previsão é de que ocorra entre o fim de fevereiro e início de março. A entidade ainda aguarda a divulgação do calendário da CBDA (Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos) para confirmar as datas das disputas locais.

Marcello também assume com o compromisso de convocar nova eleição daqui dois anos com a intenção de respeitar o ciclo olímpico. "Somos a única federação fora do ciclo olímpico", justifica .

A relação do novo presidente da federação com a natação começou aos 8 anos de idade. Foi nadador por 18 anos e agora assume o desafio de fazer com que a modalidade volte a crescer. Um dos seus desafios será o apoio para clubes e atletas, principalmente aqueles que não contam com auxílio, como o Bolsa-Atleta.

Nesta semana o governo federal confirmou através de publicação no Diário Oficial da União a exclusão das categorias Atleta de Base e Estudantil do programa. "Infelizmente vai ficando pior. É um incentivo ao esporte", conclui.

 


Envie seu Comentário