Mato Grosso do Sul, Domingo 24 de março de 2019
 
 

Sete recebe Operário nesta tarde no Chavinha

Confronto atrasado da quarta rodada acontece às 15h com ingressos a R$ 10

Gazeta MS Por Rogério Vidmantas - 20/02/2019 08h12

Ingressos para o duelo são ao valor de R$ 10 (foto: Noé Faria) Ingressos para o duelo são ao valor de R$ 10 (foto: Noé Faria)

Sete de Dourados e Operário FC se enfrentam nesta quarta-feira (20), às 15h, em partida atrasada da quarta rodada do Campeonato Estadual. Enquanto o Sete busca se firmar na zona de classificação, o Galo, se vencer, fica na vice liderança isoladamente. O confronto terá arbitragem de Marcos Mateus Pereira, auxiliado por Sérgio Alexandre da Silva e Rodrigo Soares Pedro, todos do quadro da CBF. Os ingressos custam R$ 10 e parte da renda será doada para tratamento da pequena Antonella Rodrigues Figueiredo.

Pelo lado do Sete a busca é por reabilitação. Depois de três vitórias seguidas, o time foi mal contra o Comercial e acabou derrotado por 2 a 0, estacionando na sétima posição com nove pontos. Para o jogo, o técnico Valdir Fortini tem a volta do capitão e artilheiro do time Otacílio Neto, que cumpriu suspensão na última rodada. Por outro lado, o volante Ribeiro, com três cartões não joga. Valdir sinaliza ainda mudança no ataque, principalmente após os gols perdidos por Gugu nos últimos jogos.

No Operário, a vitória na última rodada sobre o Novo FC por 2 a 0, mesmo sem jogar bem, amenizou o clima após a eliminação na Copa do Brasil. Agora com 12 pontos, está na quarta posição mas, se vencer os jogos atrasados contra Sete e Urso, passa inclusive o líder Águia Negra, que soma 16. O técnico Arilson Costa deve manter o mesmo time que jogou domingo.

Outro jogo

Também nesta quarta, mas às 19h30, no Estádio Morenão, Novo e Operário AC, de Dourados, fazem partida atrasada da terceira rodada. O jogo vale a luta contra a lanterna, já que OAC tem dois pontos e é penúltimo colocado e o time campo-grandense, com apenas um, é o último. A arbitragem será de Renan Novaes Insabralde, auxiliado por Allan Bitencourt Rodrigues e Adanclei Neves Barros.

 


Envie seu Comentário