Com os medalhistas Zanetti e Nory, ginástica masculina inicia caminhada nos Jogos

Evento começa sábado, 24, às 14h30 do Japão (2h30 do Brasil); mulheres estreiam no domingo, 25, às 20h20 (8h20 do Brasil)

| ASSESSORIA/COB


Foto: Júlio Cesar Guimarães/CO

A ginástica artística brasileira começa a sua busca por medalhas nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020, no sábado, 24, a partir das 14h30 do Japão (2h30 do Brasil), no Ariake Gymnastics Centre. A seleção masculina compete no qualificatório em busca de uma vaga na final por equipes. O Brasil também tentará a classificação para as finais do individual geral e por aparelhos.

“Temos a certeza de que todos os integrantes da equipe vão dar seus 110% como sempre fizemos em todas as competições. Estou convicto de que todos irão aproveitar ao máximo as suas potencialidades”, disse Marcos Goto, coordenador e técnico da seleção brasileira masculina.

Em Tóquio, a equipe é composta pelo campeão olímpico nas argolas Arthur Zanetti e pelo medalhista de bronze no solo Arthur Nory, além de Francisco Barretto e dos estreantes Caio Souza e Diogo Soares.

Entre as mulheres, a ginástica artística brasileira está representada pela dupla Flávia Saraiva e Rebeca Andrade. As duas atletas competem no qualificatório no domingo, 25, a partir das 20h20 do Japão (8h20 do Brasil). Elas vão em busca da classificação para as finais do individual geral e por aparelhos.

“Temos o privilégio de estar no último grupo, então poderemos acompanhar as demais adversárias e saber mais ou menos o que precisa de nota. É difícil dizer em quantas finais podemos chegar, mas temos boas possibilidades”, afirmou o técnico da ginástica feminina, Francisco Porath Neto.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE