Pavimentação de 148 km de rodovias amplia eixos da Rota Bioceânica e beneficia sete municípios

| GOVMS / SILVIO ANDRADE


Uma das frentes de obra, a MS-382 terá seu primeiro trecho finalizado entre Guia Lopes e Ponta Porã

A pavimentação asfáltica em execução pelo Governo do Estado nas regiões Sul e Sudoeste anexa importantes rodovias situadas próximas ou na linha de fronteira com o Paraguai – o chamado tronco Apaporé, aberto na década de 1980 pelo ex-governador Pedro Pedrossian – a outros polos regionais de produção. Também cria caminhos seguros para o escoamento do agronegócio e o desenvolvimento do turismo, além de levar desenvolvimento aos municípios.

Essa integração física já é uma realidade em sete municípios, onde a secretaria estadual de Infraestrutura (Seinfra) executa o asfaltamento de 148 quilômetros de rodovias. Estas estão sendo incorporadas à Rota Bioceânica (BR-267), que demanda aos portos do Pacífico, no Chile, com a ponte internacional em construção no Rio Paraguai, entre Porto Murtinho e Carmelo Peralta (Paraguai). Os investimentos, do Fundersul, somam mais de R$ 266 milhões.

As obras de infraestrutura viária, englobando as MS 382, 166 e 270, beneficiam as fronteiras agrícolas em expansão em Maracaju, Nioaque, Guia Lopes da Laguna, Jardim, Antônio João, Ponta Porã e Caracol. Desse pacote, o Estado já concluiu 23,76 quilômetros da MS-166, entre o entroncamento com a MS-270 e Antônio João, passando pelo distrito de Cabeceira do Apa. Também foram entregues os 10,36 quilômetros entre as MS-382 e MS-270.

“Nós estamos ligando regiões produtivas importantes. O Estado recuperou a capacidade de investir e se tornará uma zona de convergência dos mercados importador e exportador. É por isso que nós somos o primeiro em investimento per capita do Brasil. A economia vai bem e os investimentos são importantes porque fortalecem a estrutura de logística, tornando nossos produtos mais competitivos', afirma o governador Reinaldo Azambuja.

Na MS-382, trecho em conclusão

A primeira etapa de pavimentação da MS-382 a partir da ponte sobre o Rio Santo Antônio (Guia Lopes da Laguna), de 37,7 quilômetros, em direção ao entroncamento com as MS 166 e 270, está com mais de 85% do serviço executado pela empresa Bandeirantes. Com prazo de conclusão em dezembro deste ano, a obra será antecipada em sete meses e entregue em maio, conforme garante o engenheiro da empreiteira, Marlos Bernardi.

Com cerca de 250 trabalhadores diretos e indiretos contratados, a Bandeirantes imprimiu um ritmo acelerado na obra da rodovia, onde também executa o segundo trecho, de 39,5 quilômetros. O primeiro trecho ainda tem alguns pontos de rochas a serem superados, concentrando grandes esforços e maquinário pesado. No segundo, os serviços de terraplenagem, drenagem e pavimentação, iniciados no final de 2021, ainda estão em 10%.

'São investimentos estratégicos associados ao novo momento que Mato Grosso do Sul, no qual estamos vendo uma mudança produtiva nessa região totalmente visível e que vai avançar cada vez mais, porque ao investir nessas rodovias estamos trazendo mais competitividade para MS. Este novo eixo de 148 quilômetros vai trazer benefícios diretos não apenas à região-tronco como a todo o Estado, 'ressalta Eduardo Riedel, secretário de Infraestrutura.

Complementando a expansão da malha asfaltada, o governador Reinaldo Azambuja autorizou e a Seifra licitou o trecho de 35,56 quilômetros da MS-166, a partir do Copo Sujo (MS-460), interligando-se com as BR-060 e BR-267, em Maracaju, em direção à MS-382, entre Guia Lopes da Laguna e Ponta Porã. A obra de R$ 55 milhões tem previsão de início para o próximo mês de março, devido às chuvas na região, informou a empreiteira São Cristovão à Seinfra.

Subsecretaria de Comunicação - Subcom Fotos: Edemir Rodrigues



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE