Aconteceu na UNIGRAN o 1º Simpósio da Engenharia Mecânica. Realizado nos dias 18, 19 e 20 de abril, o evento trouxe o tema ‘Novas tecnologias de processos de fabricação e inovação’, buscando agregar conhecimento extracurricular aos acadêmicos da Instituição.

O coordenador do curso, Igor Seicho Kiyomura, contou que durante o evento eles abordaram conceitos de novas tecnologias e pesquisa, realizadas pela comunidade científica. Para ele, esta é uma oportunidade para os estudantes absorverem novos conhecimentos.

“Este tema combina uma grande área da engenharia mecânica com inovação, no qual, possui uma constante evolução e uma grande demanda no setor da indústria.  Com isso, eles puderam adquirir conhecimentos fora dos conteúdos programáticos propostos em sala de aula”, comentou.

Ainda dentro do tema, o Simpósio mostrou que a Engenharia Mecânica não se limita apenas à indústria. “O estudante deve saber que a Engenharia Mecânica é uma profissão que está ligada a dar soluções técnicas. Por isso, ela não se encontra apenas no setor da industrias, mas nas demais área como: hospitalar, farmacêutica, de alimentos, de energia, etc”, apontou Igor.

Para a abertura do evento, foi realizada uma mesa-redonda, composta pelo coordenador, o professor Luis Alberto Stussi e o diretor da Faculdade de Ciências Exatas e Agrárias, Rubens Di Dio. O diretor conversou com os alunos sobre a profissão do engenheiro mecânico.

Após a mesa-redonda, foi a vez do professor-adjunto da Universidade de Brasília – UnB, Maksym Ziberov, que ministrou palestra de maneira remota. O palestrante possui graduação em Engenharia de Soldagem pela National Technical University of Ukraine – KPI e em Engenharia Mecânica pela Faculdade Politécnica de Uberlândia, também mestrado e doutorado, em instituições nacionais e internacionais, além de agregar experiência na área de Engenharia Mecânica, com ênfase em Processos de Fabricação, atuando principalmente nos seguintes temas: microfresamento, soldagem e manufatura aditiva dos metais.

Maksym falou sobre ‘Aplicação e Fabricação de Microcomponentes’, que é o processo de “fabricação capaz de produzir peças e geometrias muito pequenas, na escala dos micrometros”. Ele apontou que é um processo relativamente novo, com uma alta demanda.

“A relevância desse tema está vinculada à possibilidade de apresentar aos estudantes diferentes processos de fabricação utilizados na obtenção dessas peças micrométricas. Assim, acredito que seja muito enriquecedora a apresentação desses novos conceitos de forma a complementar a formação dos acadêmicos”, explicou o palestrante.

Ao trazer estes assuntos, muitas vezes, inéditos para os acadêmicos, Maksym afirmou que isso abrirá novas possibilidades para os futuros profissionais. “Acredito que a participação em simpósios e outros eventos científicos é essencial para a completa formação dos estudantes. Nestes eventos eles podem conhecer conceitos novos, novas áreas de interesse e ter contato com diferentes experiências profissionais. A partir do que eles vivenciam nos eventos, podem desenvolver novas habilidades e despertar curiosidades que os farão aprofundar em diferentes temas. Todo esse conjunto, sem dúvidas, contribuirá para que sejam futuros profissionais mais completos e motivados”, finalizou.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE